Pontos de vista definidos: InicialNorteSulEsteOeste                  Ver modelo isolado

Sintra Capital do Romantismo - www.sintraromantica.net

“Borgonha de Colares” foi, assim, que apelidaram o vinho único produzido nas marinhas (chão de areia) da região colareja. Na verdade, o ramisco caracteriza-se pela especificidade da sua casta. Actualmente em recessão é, ainda, um vinho notável, não só pelo paladar mas, sobretudo, pela sua história. De facto, a notícia mais antiga acerca do “néctar dos deuses” remonta a 1740, mas a sua produção massiva datará da alvorada oitocentista, como indiciará a tábula aposta na fachada da Adega Viúva Gomes: 1808.

O vinho de Colares definiu, então, os contornos de uma paisagem, geometricamente retalhada com paliçadas de canas que protegiam as vides dos ventos marítimos que albergavam as cepas, serpenteando rasteiras, ao longo das “mantas”. E terá sido essa conjugação de factores, a areia e a qualidade do solo, o ar marítimo e o cuidado que os vitivinicultores punham, com as suas mãos hábeis, na “engorda” e amadurecimento dos cachos que acabou por criar uma espécie de endemismo. E, por isso, viu, a sua já centenária região demarcada, em 1908.

Esta conjunção de factores humanos e vitícolas contribui para que cada garrafa represente um património muito especial, autêntica peça de colecção.
Em 1931 foi fundada a Adega Regional de Colares que actualmente reúne mais de 50% da produção da região e mais de 90% dos produtores. Esta Cooperativa exerce, há 75 anos, uma função social de grande importância na actividade agrícola da Região. Produz vinhos da Denominação de Origem Controlada de Colares, Regionais Estremadura e Vinhos de Mesa, adaptados a qualquer ocasião.

A adega, construída em 1934, é imponente quando vista de fora e deslumbrante pela sua dimensão interior onde se patenteia um grande conjunto de tonéis de enormes dimensões, onde envelhecem os vinhos.

 

Contacto:
Adega Regional de Colares
Tel: 21 929 12 10
geral@arcolares.com
http://www.arcolares.com