Pontos de vista definidos: InicialNorteSulEsteOeste                  Ver modelo isolado

Sintra Capital do Romantismo - www.sintraromantica.net

O Palácio Nacional de Sintra, situado em pleno centro histórico da vila de Sintra é, de todos os paços reais portugueses, o exemplar que melhor se conservou até à contemporaneidade. Da primitiva edificação, assim como o nome do seu fundador, nada se sabe ao certo. Acredita-se, no entanto, que terá sido construído sobre a residência dos antigos Wallis muçulmanos.

A planta original sofreu, sobretudo ao longo dos séculos XIV, XV e XVI, significativas alterações que compreenderam obras de ampliação e beneficiação realizadas por ordem dos reis D. Dinis, D. João I e D. Manuel I, resultando numa complexa planta arquitectónica.

D. Dinis terá sido o primeiro monarca a beneficiar este paço real, mandando construir algumas estruturas que se articulam com as pré-existentes, nomeadamente a capela palatina. Esta estrutura religiosa apresenta uma planta longitudinal rectangular de nave única e com tribuna; as paredes apresentam-se pintadas a fresco com pombas que seguram na boca um pequeno ramo de oliveira fazendo desta forma alusão ao Espírito Santo, divindade a quem a capela real é votiva.

No primeiro quartel do século XV, D. João I foi o monarca responsável pelas primeiras grandes transformações e obras de ampliação do paço. O rei mandou construir várias dependências, entre elas a que denominamos hoje de Sala dos Cisnes e a magnifica cozinha: situada a nascente, está forrada de azulejos brancos e é coroada por duas monumentais chaminés cónicas, com 33 metros de altura, que imediatamente se tornaram no ex-libris do palácio e da própria vila de Sintra.

D. Manuel I realizou grandes obras de ampliação e beneficiação em todo o conjunto, para além do embelezamento das estruturas pré-existentes. Revestiu, por exemplo, as paredes de algumas câmaras com composições azulejares seguindo assim a tradição decorativa muçulmana. A nova ala apresenta uma significativa decoração ao nível das janelas, apresentando-se estas profusamente esculpidas com elementos vegetalistas que lhes confere um extraordinário sentido decorativo. A Sala dos Brasões é uma das mais espectaculares dependências do Palácio cuja cúpula apresenta, inseridos em caixotões de talha dourada, as armas reais de D. Manuel I, dos seus 8 filhos e de setenta e duas importantes famílias nobres. As paredes desta sala, apresentam-se integralmente revestidas a painéis de azulejos azuis e brancos, datados do século XVIII, que apresentam temáticas galantes e de caça, tão características do barroco português.

O rei D. Carlos e a rainha D. Amélia foram os últimos monarcas a utilizar o Palácio como residência de verão. Na sequência da instauração da República, em 5 de Outubro de 1910, o Paço Real é integrado no Património do Estado.

O Palácio Nacional de Sintra é um dos paços reais mais antigos da Europa. Pela sua originalidade, antiguidade e beleza estética, é local de visita obrigatória para milhões de turistas que por ali passam todos os anos.

 

Contactos
Tel. 21 910 68 40
pnsintra@imc-ip.pt
www.pnsintra.imc-ip.pt

 

Horários: 09.30h – 17.30h
Admissão de visitantes até às 17.00h
Encerra à 4ª feira